“Não adulterarás.” Dt 5.18

Este é um mandamento firme e contundente para aqueles que servem a Deus. Entretanto, muitos cristão adulteram – o que já começa quando se olha com malícia para alguém que não seja o próprio cônjuge.

Por que as pessoas adulteram? Homens e mulheres traem seus cônjuges por motivos diferentes.

Certamente, podemos afirmar que ambos traem por fraqueza espiritual. Talvez por não estar atento e não admitir a possibilidade de que isto pode acontecer a qualquer um. Talvez por não estar em dia com a vida de oração e o coração na Palavra de Deus. Talvez por falta de temor ao Senhor.

Não temos a intenção de querer justificar o pecado do adultério, porque o temor ao Senhor é o princípio da sabedoria de viver uma vida correta. Entretanto, diante de tantos casos de adultério, se faz necessário analisar as causas psicológicas e emocionais de tal fato.

Homens e mulheres são muito diferentes um do outro. Sabemos disto. E é preciso lembrar que isto não está errado – foi Deus quem fez assim – e tudo que Deus faz é bom. As diferenças devem servir para um completar o outro naquilo que lhe falta. Isto é maravilhoso e perfeito.

Por ser diferente um do outro, os motivos para a traição conjugal também são diferentes.

Os homens traem as esposas sem envolvimento sentimental, na maioria das vezes. É sexo por sexo. Homens são capazes de trair para ter uma “novidade” de vida sexual. Algumas vezes, deixam-se envolver um pouco mais e se apaixonam, a ponto de abandonar a esposa para viver um novo relacionamento. Mas quase sempre a atração inicial é o sexo, principalmente quando o relacionamento sexual com a esposa não está satisfatório para ele. Esta é uma questão um tanto complexa, pois essa insatisfação pode estar sendo gerada por compulsão, por fantasias sexuais não realizadas, por alguma disfunção sexual da esposa, por falta de comunicação entre o casal, entre outras. Outra motivação masculina para a traição é a auto-afirmação. Muitos homens passam por uma crise existencial, por volta dos 40 anos. Ao constatar a chegada da meia idade, inconscientemente, desejam voltar à juventude e envolvem-se com mulheres mais jovens. E há, é claro, aqueles que o fazem por fraqueza de caráter, por não valorizar nem respeitar devidamente a esposa.

As mulheres traem por necessidades emocionais. As mulheres têm necessidade de receber atenção e afeto em maior proporção que os homens. Quando uma esposa fica carente de receber amor e afeto – abraço, beijo, carinho – ela fica vulnerável. Se ela convive em algum lugar com um homem que lhe faz elogios, age delicadamente com ela ou toca sua mão, seu braço ou seu ombro com carinho, ela cai com facilidade “nos braços” desse homem. Mulheres abusadas sexualmente na infância também ficam propensas, pois formam um conceito distorcido de sexualidade. E há, é claro, aquelas que traem por fraqueza de caráter também.

Receber afeto é necessidade vital para a mulher. Ter sexo satisfatório é necessidade vital para o homem. Lembrando que necessidade vital é aquilo que não se pode viver sem, senão morre. Suprir as necessidades do cônjuge no casamento é dever de toda pessoa casada. Ser fiel e honrar a pessoa com quem nos casamos também. Afinal, o fazemos em obediência a Deus, o Senhor de nossa vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *